Interjeição

 

 

 

Interjeição

Interjeição é a palavra que expressa emoções, sentimentos ou pensamentos súbitos.

Trata-se de um recurso da linguagem afetiva, em que não há uma idéia organizada de maneira lógica, como são as sentenças da língua, mas sim a manifestação de um suspiro, um estado da alma decorrente de uma situação particular, um momento ou um contexto específico.

Exemplos:

  1. Ah, como eu queria voltar a ser criança!

    ...[ah: expressão de um estado emotivo = interjeição]

  2. Hum! Esse cuscuz estava maravilhoso!

    ...[hum: expressão de um pensamento súbito = interjeição]

As sentenças da língua costumam se organizar de forma lógica: há uma sintaxe que estrutura seus elementos e os distribui em posições adequadas a cada um deles. As interjeições, por outro lado, são uma espécie de palavra-frase, ou seja, há uma idéia expressa por uma palavra (ou um conjunto de palavras - locução interjetiva) que poderia ser colocada em termos de uma sentença. Observe:

  1. Bravo! Bravo! Bis!

    ...[bravo e bis: interjeição]

    ...[sentença [sugestão]: "Foi muito bom! Repitam!"]

  2. Ai! Ai! Ai! Machuquei meu pé...

    ...[ai: interjeição]

    ...[sentença [sugestão]: "Isso está doendo!" ou "Estou com dor!"]

O significado das interjeições está vinculado à maneira como elas são proferidas. Desse modo, o tom da fala é que dita o sentido que a expressão vai adquirir em cada contexto de enunciação. Exemplos:

  1. Psiu!

    ...[contexto: alguém pronunciando essa expressão na rua]

    ...[significado da interjeição [sugestão]: "Estou te chamando! Ei, espere!"]

  2. Psiu!

    ...[contexto: alguém pronunciando essa expressão em um hospital]

    ...[significado da interjeição [sugestão]: "Por favor, faça silêncio!"]

  3. Puxa! Ganhei o maior prêmio do sorteio!

    ...[puxa: interjeição]

    ...[tom da fala: euforia]

  4. Puxa! Hoje não foi meu dia de sorte!

    ...[puxa: interjeição]

    ...[tom da fala: decepção]

As interjeições são palavras invariáveis, isto é, não sofrem variação em gênero, número e grau como os nomes, nem de número, pessoa, tempo, modo, aspecto e voz como os verbos. No entanto, em uso específico, algumas interjeições sofrem variação em grau. Deve-se ter claro, neste caso, que não se trata de um processo natural dessa classe de palavra, mas tão só uma variação que a linguagem afetiva permite. Exemplos: oizinho, bravíssimo, até loguinho.

Meu Deus! Ainda preciso estudar matemática!

Previous Next Tela de apresentação